5.7.05

Da glória literária

Percorrer um alfarrabista ou um mercado de velharias é o melhor exercício para nos vacinarmos contra esta sociedade de sucesso (literário, pseudo-cultural) fácil. Quantas "bestas céleres" (perdão, best sellers...) de outros tempos se acumulam por ali. E quem lhes pega? Ninguém!

Ruy Ventura

3 Comments:

Blogger O Bom Selvagem said...

Nem mais caro Ruy Ventura. Farto-me de dizer isso quando dizem que hoje só se lê porcaria e antes é que era bom etc. etc. blah blah
Nem é preciso passar uma geração.

Mesmo daqui a 2 ou 3 anos ninguém pega em certos bestsellers de hoje...

11:42 da manhã  
Anonymous mb said...

Isso não foi problema para esses (nem o é hoje para os seus epígonos). Muitos em vida gozaram quanto puderam o que a morte nunca lhes daria.

9:34 da manhã  
Anonymous a.l.r. said...

Ninguém? Era bom era. Alguns sei eu que são os próprios a comprar, dizendo ao alfarrabista que não os conhece, "tem um livro de fulano?" e fazendo elogios. Um deles é um "grande" poeta e também novelista, vi eu sem ele saber que o via não há muito tempo no alfarrabista da Calçada do Combro.
Pois não!

3:26 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home