15.6.05

A opinião de Pacheco Pereira sobre a colecção POEMAS DA MINHA VIDA

em 4.6.05, no Abrupto

"Vale a pena falar de livros no meio desta barbárie futebolística, destas horas e horas monocórdicas de ruído televisivo, sinal da nossa miséria e pobreza de espírito?
Vale, no sentido do poema de O' Neill que Mário Soares escolheu para ler na publicidade televisiva à colecção "Os Poemas da Minha Vida", distribuídos com o Público:

História da Moral

Você tem-me cavalgado,
Seu safado!
Você tem-me cavalgado,
Mas nem por isso me pôs
A pensar como você.

Que uma coisa pensa o cavalo;
outra quem está a montá-lo.

O mérito desta colecção (em que, declaro já o meu conflito de interesses, também irei colaborar) é o de através dos poemas da "vida" de cada um, nós os lermos, aos poemas, e à "vida" de quem os escolheu.
Vale mesmo a pena, porque pouca coisa reflecte mais a percepção que cada um tem de si próprio, ou o retrato público que desenha de si mesmo, do que os poemas que escolhe para serem da "sua vida", mesmo quando não o foram. Principalmente quando não o foram."

2 Comments:

Anonymous rbv said...

Pacheco Pereira deve ser um ingénuo, visto que não é um brincalhão ou um hipócrita.
Falar em barbárie futebolística como um mal que se trata com caldinhos de poesia é uma piada concerteza, pois se o povo está assim é em grande parte pela acção dos políticos onde se conta PP.
Eu pelo menos e muitos mais aposto, não queremos ter percepção dos vossos hábitos, queremos é que nos desamparem a loja.

10:51 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Concordo cem por cento.
Poesia é mandar estes cultos indivíduos à fava.

11:44 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home