10.6.05

ALEGRIA NO TRABALHO

Devem os leitores estar recordados de recentemente um excelente jornal ibérico ter dado a lume uma série excitante de livros, protagonizados pelos melhores personagens, com o título recreativo e feliz de "As poesias da minha existência".
Ora, numa manifestação desenvolta de "populismo e demagogia" - como diria o conhecido deputado José Capullo Follante - resolvêmos efectuar uma acção cultural que cremos ter suficientes méritos para se recomendar. Assim, a partir da próxima segunda-feira e durante algumas jornadas, daremos voz a figuras não menos importantes do nosso quotidiano, mas menos exornadas pela celebridade de que os outros líricos depoentes gozam neste momento: um competentíssimo, muito conhecido no meio, funcionário de Finanças, uma cozinheira renomada numa escola C+S, um famoso futebolista da 1ª divisão regional do Centro, uma trabalhadora do sexo muito em voga em todo o trecho da estrada Setúbal-Lisboa, um pedreiro extremamente hábil de origem polaca...

O poema escolhido foi proposto, num pacote de cinco, aos depoentes pelo autor desta lição prática de democracia cultural. Por razões óbvias, em que avulta o receio de serem perseguidos pelos depoentes mais alevantados, a pequenina biografia que acompanhará os eventos sofreu ligeiras alterações, nomeadamente no nome. É que quem tem traseiro tem arrepios e todos sabemos o que a casa gasta nesta democracia tendencial...

NS

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Ficamos à espera, só não percebo por que não incluiu na sua lista o conhecido apanhador de cartão que actua entre a Marquês de Tomar e a Av. de Berna e por sinal é meu primo.
Filipe Guerra

11:05 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Mas incluí, Filipe! Como podia não incluir? O seu famoso primo, o mais rápido e competente da respectiva especialidade - e que ficou também muito conhecido e apreciado por ter chamado "apepinador patusco" a Manuel Dias Loureto no decorrer duma acção de campanha do PSD - era obviamente o contido nos três pontinhos!
De acordo com a minha particular amiga (conhecemo-nos há muito tempo...ainda demos umas cambalhotas aí pelos trinta anos...)Idalina dos Trapos - sim, a que actua na Rua do Benformoso quando se vai para a Rua Almeida Garrett - o seu primo, que é modesto e nunca revela o que de bom lhe acontece, foi convidado pelo mayor de Nova Iorque e pelo "dealer" mafioso que administra na prática Moscovo, a mudar-se para as respectivas capitais. Parece que faz falta ali um apanhador da sua classe, para mostrar aos turistas de qualidade.
Sei que ele, por razões patrióticas recusou, o cartão nacional é a seu ver o melhor "embora - e cito - não chegue aos calcanhares do que voga por dentro da cabeça do dr. Rebelo e Castro".
Um abraço. NS

11:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Só para acrescentar que, conforme me disse a Idalina, o Remígio (aos poucos que o não saibam, o famoso primo do Filipe chama-se Remígio Guerra)está cheio de saudades dos vossos "almoços multidisciplinares" de feliz memória nas suas dele instalações da Brandoa.
NS

11:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home