4.5.05

Embate do mundo bárbaro com o mundo clássico e cristão.

"No século III, o Império atravessara uma grave crise política, que veio provocar o desiquilíbrio social e económico. Os exércitos impunham os imperadores e destituíam-nos com a mesma facilidade com que os haviam aclamado.
Os Bárbaros foram-se infiltrando no Império pouco a pouco, não com o intuito de o destruírem, mas atraídos por uma vida melhor. Por sua vez, os Romanos, seduzidos pelo luxo oriental, precisavam deles, ocupando-os nos trabalhos mais humildes ou mais duros: pedreiros, servidores agrícolas, carrejões, aguadeiros. (...) A crise social e económico-financeira agravara a situação do Império. O comércio diminui, a pirataria alastra, a moeda deprecia-se, o custo de vida sobe.
A penetração dos Bárbaros no Império continuou pacificamente mas, no século V, os Germanos, aterrorizados com os Hunos que haviam infestado a Europa, entraram violentamente no Império. A essa incursão em massa chamam os historiadores as grandes invasões."

TORRES, Ferreira. "História da Civilização: Idade Média"
(Terceiro ciclo). Porto, Asa, 1971, 2ºVol.


Isto não vos lembra nada? Pois eu cá pus-me a cismar.