18.4.05

Se for eleito Papa, prometo:

1- Lugares para todos no céu, cerca de um bilião, portanto, mas sujeitos a confirmação por e-mail, fax ou telefone até 24 horas antes do Dia do Juízo.

2- Acabar com as escutas telefónicas ilícitas no Vaticano. Não voltarei a permitir que uma conversa entre o Papa e Deus surja escarrapachada nos jornais do dia seguinte.

3- Pôr a máfia fora dos muros do Vaticano. A partir de agora, só com marcação prévia.

4- Deixar as mulheres participarem mais activamente no culto. Defendo um modelo de evolução serena e ponderada. Poderão começar, por exemplo, por ajudar os senhores padres a vestir a batina, sempre, e sublinho este sempre, no recato da sacristia.

5- Criar uma série de produtos multimédia que lancem definitivamente a Santa Igreja no século XXI, como, por exemplo, orações ou ícones de santos descarregáveis em telemóveis.

6- Resolver o problema das finanças do Vaticano com o recurso à venda de fragmentos da capela sistina a museus de renome internacional.

7- Defender o uso do preservativo, mas só em casos excepcionais, após requerimento endereçado à paróquia responsável, autorização desta, e estrita vigilância médica.

8- Alargar o intervalo de tempo em que Deus criou o mundo de, por que há a coisa dos dinossauros e tal, 7 dias para 77 anos.

9- Reconhecer, perante tanta evidência, que, de facto, há homens - e mulheres - que parecem ter fortes parentescos com o macaco.

10- Concessionar as casas de banho do Santuário de Fátima.

11- Aparecer à janela para dar a bênção aos crentes pelo menos dez vezes por dia, e - aqui é que reside a verdadeira novidade - cada dia em sua janela diferente.