21.4.05

Em Abril águas mil



Isto é, quando chove. Porque por vezes não chove ou chove tão pouco, tanta escassez para tão grande sede da terra!
Mas naquela madrugada choveu. E não foi chuva - foi um aguaceiro de esperanças, de entusiasmos, de expectativas, de sonhos bem/mal localizados. De desejos e de paixões. Por exemplo: de elaborarmos o nosso próprio percurso. A nossa rota. A vida que por fora, no quotidiano político/social, nos coube.
Éramos ingénuos? Éramos. E com muita honra. Mas não diria bem ingénuos; inocentes, talvez, da mais bela inocência - que é a da alegria aberta.
Alegria? Sim senhor. Eu podia dizer-vos, da minha própria experiência: quando o dia levantou e...Mas chut! Ná, não vou pôr-me aqui a... Porque depois houve pontos mui negros. Mas vamos é ao que agora importa e que é dizer-vos que no Museu República e Resistência, no dia 26 e pelas xis horas...
Mas o melhor é mostrar-vos a notícia que o Nuno Rebocho (o meu Rebochão amigo, essa rebochal figura de voz forte e toeira que tantas vezes nos quase acorda aos microfones da Antena 2) me enviou agora mesmo e que passo a fornecer a vosselências:

AS NOITES DA LIBERDADE
na Biblioteca Museu República e Resistência
(homenagem ao 25 de Abril)

Poesia em Liberdade
26 de Abril - 21H30


A palavra dos poetas é a voz de homens livres que não esquecem quem acende as madrugadas da esperança e solta a alegria dos ventos. Terça-feira, 26 de Abril, juntam-se cultores da liberdade para afirmar a cidadania. Participam, entre outros:
José Fanha, Aurelino Costa, Fernando Fitas, Mário Contumélias, José do Carmo Francisco, Mário Máximo, Joaquim António Emídio, Nuno Trinta de Sá, Nuno Rebocho.
E há um cheiro a "cegadas", vindo da Nazaré (Manuel Carvolha), e o sempre inesperado MAL (Movimento de Arte Livre)

Em colaboração com
Antena 2

Biblioteca-Museu República e Resistência (Espaço Cidade Universitária) - Rua Alberto de Sousa, 10-A, à Zona B do Rego, Lisboa. Tel 21 780 27 60. Fax 21 780 27 88