20.4.05

Bento XVI ou Pio XIII?

E pronto, lá acabou por ser eleito o cardeal Ratzinger... Pelo andar da carruagem, confesso que nos últimos dias andava com um "feeling" de que o velho cão-de-guarda doutrinal iria ser o escolhido. Sendo ele uma figura temida por muitos e de uma grande tenacidade na formatação das mentalidades, não custa a crer que ele exercesse um certo ascendente moral sobre a maioria dos cardeais. E querendo ele ser papa (porque estou intimamente convencido de que ele não queria outra coisa), parece-me que muito dificilmente a oportunidade lhe fugiria. Aliás, o facto de o conclave ter sido tão rápido e consensual é uma demonstração de que Ratzinger tinha aquilo tudo dominado e os outros cardeais se limitaram a confirmar o óbvio. É por isso que há determinadas coisas que se dizem e que eu tenho alguma dificuldade em aceitar. Podem dizer que Ratzinger é um tipo "soberbamente inteligente" ou até, embora isso seja subjectivo, o "melhor teólogo vivo" (como referiu um surpreendente D. Januário Torgal). O que não é defensável é que venham com o retrato de um Ratzinger modesto, quase "naif" , alguém que, na varanda da basílica de S. Pedro, ainda estaria meio embaraçado ou atordoado com as suas novas vestes de Sumo Pontífice. Como se a escolha do conclave o tivesse surpreendido e ele ainda precisasse de se recompor do choque. Benza-os Deus! Um homem que desempenhou o cargo de "grande inquisidor" (para simplificar...) da maneira por todos conhecida, alguém que foi a "sombra" de João Paulo II e, para todos os efeitos, o ideólogo do Vaticano, alguém que conhecia como nenhum outro cardeal os corredores do poder pontifício... alguém acredita que ele próprio não quisesse ser papa, que não tenha feito disso mesmo o projecto da sua vida? Aos 78 anos, terá sido esta a maior alegria da vida dele, a maior graça que lhe puderam dar, algo para o qual ele se terá preparado durante anos e anos. Não me parece é que uma boa parte dos católicos tenha ficado muito contente com a escolha. Mas essa é outra história...

P.S.- Se bem me recordo, naquela lista de perfis de papa que escrevi há dias, não constava o nome de Bento. O que só prova, se necessário fosse, os meus sofríveis dotes de Zandinga. Mas, cá para mim, Ratzinger não passa de um Pio disfarçado. Ou estarei enganado?