26.9.03

O Povo É Sereno #2

O PAULO PORTAS vai reunir-se este fim-de-semana em cong... Como? O que é que eu disse? Não, desculpem, o que eu queria dizer era isto: o PAULO PORTAS vai reunir-se este f... Ah, não, nada disto, voltei a enganar-me, peço desculpa. Agora é que é: o PARTIDO POPULAR vai reunir-se este fim-de-semana em congresso na Exponor em Matosinhos. É isto mesmo, o PARTIDO POPULAR. O PAULO PORTAS é só um pormenor, um pequeno líder sem importância, candidato único, vencedor único, pensador único, o único. E este PARTIDO POPULAR, por acaso, também é CDS. Lá para trás. Mas alguém ainda se lembra disso? Bom, lá constar da sigla e dos boletins de voto ainda consta mas a coisa começa a parecer-se cada vez mais com um título nobiliárquico fora de uso. Votado ao pó e às traças. E eles sabem disso. Eles sabem que nós sabemos que eles sabem. Essa é que é essa!
Mas desta vez, só para provarem que ainda têm memória, vão evocar o I Congresso do CDS realizado no pós-25 de Abril (Janeiro de 1975), durante o qual o Palácio de Cristal, palco da reunião magna daquele "perigoso partido fascista", esteve cercado por multidões animadas sob bandeiras que hoje já ninguém conhece, como as da FSP, PRP, PUP e OCMLP. Lá dentro, os representantes do Portugal profundo e católico que compunham a plateia iam aproveitando para rezar as suas últimas orações (nunca fiando!), os fundadores do CDS (como Amaro da Costa e Freitas do Amaral) cerravam os punhos e preparavam-se para o pior, os dirigentes convidados dos partidos conservadores europeus começavam a arrepender-se de ter participado numa iniciativa política em tão obscuro país.
28 anos depois, os "representantes do Portugal católico", apesar de ainda lá estarem, foram cedendo gradualmente a primazia a um rebanho de "jovens turcos" com gel no cabelo e pronúncia de Nevogilde ou da linha de Cascais, os conservadores europeus podem assistir a tudo sem desarranjos intestinais, as bandeiras estão guardadas nos sótãos e o povo, finalmente, serenou. E os fundadores? Bem, esses... Amaro da Costa (e só porque já morreu... sabe-se lá onde estaria, como se comportaria e o que diria se fosse vivo) teve direito a um busto no preciso local onde se realizou o congresso pioneiro; quanto a Freitas do Amaral, bem, até me custa dizer isto, mas ele agora é um perigoso guerrilheiro da extrema-esquerda que deve estar aí a preparar um assalto qualquer contra o Congresso do CDS.